Efeito Alelopático de Solanum Pimpinellifolium (solanacea) Sobre Germinação e Crescimento Inicial de Lactuca Sativa L. e Bidens Pilosa L.

Nome: RAIANE DE SOUZA FIORESI
Tipo: Dissertação de mestrado acadêmico
Data de publicação: 22/08/2017
Orientador:

Nomeordem decrescente Papel
Hildegardo Seibert França Co-orientador
Viviana Borges Corte Orientador

Banca:

Nomeordem decrescente Papel
Elias Terra Werner Examinador Interno
Hildegardo Seibert França Coorientador
Renita Betero Corrêa Frigeri Examinador Externo
Silvia Tamie Matsumoto Suplente Interno
Tarsila Daysy Ursula Hermogenes Gomes Suplente Externo
Viviana Borges Corte Orientador

Resumo: Alelopatia é toda e qualquer interferência causada por substâncias químicas produzidas por plantas em organismos da comunidade, acarretando tanto efeitos benéficos quanto prejudiciais. Considerando que diversas espécies do gênero Salanum apresentam grande potencial alelopático, o objetivo do presente trabalho foi avaliar o efeito alelopático dos extrato hexânico, metanólico e de acetato de etila de folhas de Solanum pimpinellifolium sobre a germinação de sementes da cultivada Lactuca sativa L e da daninha Bidens pilosa, como possível alternativa ao uso de herbicidas sintéticos altamente poluentes e persistentes no ambiente. Os extratos foram obtidos por maceração à temperatura ambiente por 7 dias. Depois foram secos e diluídos em água destilada para as concentrações 1, 2 e 5mg/ml. Em seguida 100 sementes de cada espécie foram distribuídas em 5 placas de Petri forradas com duas folhas de papel germitest umedecidos com as diferentes concentrações de cada extrato colocadas para germinar. Os testes foram conduzidos à temperatura constante de 22ºC e luz constante em câmara de germinação tipo BOD. Os bioensaios foram monitorados diáriamente obtendo-se ao final de 7 dias a porcentagem de germinação e índice de velocidade de germinação (IVG). Dos três extratos, o acetato de etila apresentou melhor desempenho, diminuindo a velocidade e a porcentagem de germinação em todas as concentrações, sendo que a concentração 5mg/ml apresentou apenas 8% de germinação para L. sativa L. Para B. pilosa o extrato hexânico apresentou melhor desempenho, diminuindo a velocidade e a porcentagem de germinação em todas as concentrações. As análise fitoquímicas foram realizadas com técnica de cromatografia em camada delgada (CCD) e identificou os grupos químicos presentes nos três extratos utilzados nos experimentos. A estatítisca revelou diferenças significativas entre os diferentes tratamentos e plantas testadas de acordo com o teste de Scott-Knott ao nível de 5% de probabilidade.

Acesso ao documento

Transparência Pública
Acesso à informação

© 2013 Universidade Federal do Espírito Santo. Todos os direitos reservados.
Av. Fernando Ferrari, 514 - Goiabeiras, Vitória - ES | CEP 29075-910