PROSPECÇÃO DA TOXICIDADE E ATIVIDADE ENZIMÁTICA DE FUNGICIDAS POR MEIO DE BIOENSAIOS COM Lactuca sativa

Nome: FRANCIELEN BARROSO ARAGÃO
Tipo: Dissertação de mestrado acadêmico
Data de publicação: 22/02/2017
Orientador:

Nomeordem decrescente Papel
Silvia Tamie Matsumoto Orientador

Banca:

Nomeordem decrescente Papel
Geraldo Rogerio Faustini Cuzzuol Suplente Interno
Larissa Fonseca Andrade Vieira Examinador Externo
Marcela Ferreira Paes Suplente Externo
Silvia Tamie Matsumoto Orientador
Viviana Borges Corte Examinador Interno

Resumo: O aumento na demanda de alimentos, devido ao crescimento da população mundial, acarreta no uso intensificado de substâncias sintéticas com a finalidade de ampliar a produtividade de alimentos. Entretanto, o crescente avanço de monoculturas destaca-se pelo significativo volume de resíduos dispersos no ambiente, como os agrotóxicos. Estas substâncias ocasionam impactos ambientais, pois quando lixiviadas podem afetar lençóis freáticos e águas superficiais, prejudicando, e consequentemente, a micro e macro biota local. Assim, na busca pela elucidação dos efeitos hereditários ou letais dessas substâncias tóxicas nos organismos vivos, diversos métodos de avaliação tem sido desenvolvidos com o intuito de compreender as propriedades e mecanismos de ação dos mesmos. Logo, o trabalho objetivou avaliar o efeito dos fungicidas tebuconazol (TBZ) e difenoconazol (DFZ) por meio de diferentes ferramentas de análise no modelo vegetal Lactuca sativa. As sementes de Lactuca sativa foram germinadas em água destilada até atingirem 1 a 2 mm, após alcançarem o tamanho mínimo foram tratadas com diferentes diluições dos fungicidas: Tebuconazol (12,5; 25; 50; 100 e 200 µL) e Difenoconazol (6,25; 12,5; 25; 50 e 100µL) em 100 ml de água destilada. A trifluralina foi utilizada como controle positivo (C+) e água destilada como controle negativo (C-). Foram realizadas análises de crescimento radicular, avaliação do potencial citogenotóxico por meio da análise de ciclo celular (índice mitótico, alterações cromossômicas (AC) e nucleares (AN)), quantificação dos danos ao DNA por meio do teste do cometa e teste do Túnel, bem como avaliação do estresse oxidativo por meio da quantificação das enzimas antioxidantes CAT, APX, SOD e POD. As médias foram submetidas a ANOVA e comparadas pelos testes de Kruskal Wallis e Tukey (p<0.05). As diferentes diluições do TBZ e DFZ apresentaram redução no crescimento radicular, com inibição de 36,87% e 83,04% para a maior concentração testada (C5) em relação ao controle negativo. Comparando-se com o índice mitótico do C-, as concentrações avaliadas de DFZ não apresentaram diferença estatística, enquanto as concentrações de TBZ apresentaram redução significativa na menor concentração, e aumento significativo nas demais concentrações. Todavia, tanto DFZ quanto TBZ apresentaram aumento significativo nas AC nas maiores concentrações. Ambos fungicidas induziram a formação de AC como cromossomos perdidos e quebrados, c-metáfases, pontes, c-metáfase poliplóides e cromossomos pegajosos. As maiores concentrações dos dois princípios aumentaram a porcentagem de AN. Observou-se que os tratamentos dos fungicidas aumentaram a fragmentação de DNA avaliados pelo teste do cometa e TUNEL no fungicida TBZ, onde todas as concentrações foram diferentes do C-. Enquanto no fungicida DFZ pelo teste TUNEL, houve aumento na quantidade de danos leves e diminuição de células sem danos, em relação ao C-. A análise do estresse oxidativo demonstrou que apenas a enzima APX apresentou uma diferença estatística do C- para o TBZ, enquanto no DFZ apenas a enzima SOD foi diferente estatisticamente do C-. Diante dos testes realizados observou-se que os fungicidas TBZ e DFZ foram citotóxicos por diminuir o crescimento radicular, genotóxicos por aumentar a ocorrência de AN e AC bem como elevar a fragmentação de DNA, e alteraram a atividade enzimática.

Acesso ao documento

Transparência Pública
Acesso à informação

© 2013 Universidade Federal do Espírito Santo. Todos os direitos reservados.
Av. Fernando Ferrari, 514 - Goiabeiras, Vitória - ES | CEP 29075-910